19 de mai de 2011

Palocci teme vazamento do ISS de sua empresa


Via  Jorge Roriz -  http://wp.me/p6Q8u-
Perguntei ontem aqui se Antonio Palocci pagava ISS, já que sua “consultoria” é uma empresa de serviços. Em São Paulo, é de 5%. O valor recolhido num mês poderia indicar o faturamento — se é que houve recolhimento. Pois é… A minha pauta era tão boa que, segundo o Estadão, Palocci apelou a Gilberto Kassab, prefeito de São Paulo, para que nenhum dado sobre o ISS vaze dos “escalões inferiores”. Talvez não vaze… Isso é especialidade de petistas, como sabe… Palocci!
O ministro que teve acesso ao extrato de Francenildo, obtido ilegalmente, apelar a um prefeito para que tente impedir o vazamento do valor de um pagamento de imposto é mesmo uma ironia. Imaginem se fosse um ministro tucano…Leiam o que informa o Estadão:
Ministro pede a Kassab que preserve sigilo fiscal da Projeto
Por Leandro Colon, de O Estado de S. Paulo
Para evitar qualquer tipo de quebra ilegal do sigilo fiscal de sua empresa, o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, acionou o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. O petista quer evitar que integrantes de escalões inferiores da administração municipal vazem informações sobre a Projeto Administração de Imóveis, que até o ano passado funcionou como empresa de consultoria.
Um interlocutor do ministro telefonou para Kassab na quarta-feira, 18, para alertar sobre rumores de que adversários do ministro estavam trabalhando para conseguir os valores de tributos municipais recolhidos por sua empresa entre 2006 e 2010, período em que Palocci disse ter prestado consultoria a clientes através da Projeto. A revelação, por exemplo, de quanto o ministro recolheu do Imposto Sobre Serviço (ISS), cuja alíquota é de 5% em São Paulo, poderia indicar o faturamento da Projeto, informação que Palocci tem guardado a sete chaves.
Ao recorrer a Kassab, o Palácio do Planalto mostra que conta com seu apoio na crise vivida pelo ministro da Casa Civil após a revelação de que aumentou seu patrimônio em 20 vezes nos últimos quatro anos. Ao deixar o DEM para fundar o PSD, o prefeito de São Paulo tem sinalizado uma aproximação com o governo da presidente Dilma Rousseff. Na conversa com os interlocutores de Palocci, Kassab mandou o recado de que, se depender dele, não haverá vazamento de dados sigilosos de sua empresa que estão ao alcance da Prefeitura. Kassab escalou assessores para acompanhar o caso.
A aliados, Palocci tem debitado a origem da crise a possíveis divergências políticas dentro do seu próprio partido, o PT. Teme que petistas usem a influência conquistada em escalões inferiores na gestão de Marta Suplicy para conseguir informações sigilosas de sua empresa. Palocci também avalia que políticos do PSDB, de olho em desgastá-lo, atuem para obter dados fiscais da Projeto.
Por Reinaldo Azevedo
Empresa de Palocci deve ter lucrado 40 milhões
via Jorge Roriz
Se a consultoria Projeto, do ministro Antônio Palocci (Casa Civil), tinha R$ 7,5 milhões para comprar o apartamento de R$ 6,6 milhões e o escritório de R$ 882 mil, então faturou pelo menos R$ 40 milhões, segundo especialistas em contabilidade. Após pagar impostos, claro. E se emitiu notas fiscais, claro. É só fazer contas. O consultor Palocci não rasparia o caixa para pagar os imóveis e ficar sem nada no banco.
A parte do Leão
Se Palocci pagou impostos, foram R$2 milhões em ISS, R$3,7 milhões em PIS Cofins e R$12,8 milhões sobre lucro presumido, por exemplo.
Incidem sobre o faturamento PIS Cofins (9,25%) e ISS (5%). O IR suga 25% de 32% de lucro presumido ou 9% sobre 32% do lucro apurado.
O ministro Palocci descartou qualquer possibilidade de tornar públicos os seus contratos de consultoria. É segredo guardado a sete chaves. ( Claudio Humberto)
*********************** 
Órgão do governo federal responsável por identificar atividades financeiras atípicas enviou à Polícia Federal relatório sobre transação bancária ocorrida em 2010 entre a consultoria do chefe da Casa Civil e uma empresa sob investigação policial
Leandro Colon / SÃO PAULO e Luiz Alberto Weber / BRASÍLIA - O Estado de S.Paulo
Coaf nega alerta à Polícia Federal sobre compra de imóvel

 

 ‘Estado’ mantém informação, confirmada em conversa gravada, de que órgão da Fazenda enviou à Polícia Federal registro de transação imobiliária

19 de maio de 2011 | 23h 00
Vannildo Mendes e Tânia Monteiro, de O Estado de S. Paulo
BRASÍLIA - Por meio de uma nota do Ministério da Fazenda e de declarações do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o governo da presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira, 18, que o Conselho de Atividades Financeiras (Coaf) não tem informações sobre operações financeiras do ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

comentário aguardando moderação