29 de ago de 2010

Depois das eleições, a coisa muda de figura


( atividades do control C e control V)


Dilma também relê Nelson Rodrigues e espera que Serra lhe diga: “Perdoa-me por teres tentado me destruir”
29/08/2010
às 7:37

Ontem, na entrevista planejada para o Jornal Nacional, vimos a candidata do PT, Dilma Rousseff, “estender a mão” para o tucano José Serra, embora não tenha, é claro, citado o nome do adversário. De novo ao lado do deputado José Eduardo Cardozo (SP) — e, desta vez, ao lado do presidente do PT, José Eduardo Dutra —, a candidata afirmou:
“O processo eleitoral começou agora. Vamos pra rua, vamos mostrar nossas propostas. Depois das eleições, a coisa muda de figura, a gente desarma o palanque e estende a mão para quem for pessoa de boa vontade e quiser partilhar desse processo de transformação do Brasil”.

A “boa-vontade” do PT
Ao longo de quase oito anos, o que o PT mais teve da oposição, em especial do PSDB, foi boa-vontade. Tratarei desse assunto em outros textos. Como paga, os tucanos viram sua reputação ser moída pelo petismo e seu passado ser reescrito da forma como Lula bem entendeu.

http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1327008-7823-DILMA+ROUSSEFF+APRESENTA+PROPOSTAS+PARA+ATENDIMENTO+AS+GESTANTES,00.html

*******

29/08/2010
às 7:31
Feitiço do tempo: Dilma nem está eleita ainda, e Palocci e Dirceu já voltam a 2003…
Ah, o mundo da política, do jornalismo e das salsichas é muito engraçado, como não disse Bismarck. Uma reportagem de Wilson Tosta e Vera Rosa no Estadão de hoje dá o que pensar. Reproduzo um trecho abaixo. Título: “Dirceu tenta barrar avanço de Palocci”. É a manchete do jornal. Leiam. Comento em seguida.
Leia artigo completo em:

28/08/2010
às 7:55
Constituinte exclusiva até para unha encravada é golpe
Há certos debates no Brasil que chegam a ser de uma burrice comovente - quando não são má fé pura e simplesmente. Um deles é essa estupidez de Constituinte exclusiva para fazer a reforma política, tese com qual já acenaram a verde Marina Silva e a petista Dilma Rousseff. Constituinte exclusiva? Para quê? Para mudar a Constituição? Mas ela traz em si mesma o ritual para sua mudança: emenda constitucional, aprovada com três quintos dos votos de cada Casa, Câmara e Senado, em duas votações. Não há mecanismo alternativo. Ou alguém apontaria para o Tio Rei trecho da Carta que prevê outro caminho?
Qualquer coisa que não seja isso, Dona Marina e Dona Dilma, é uma tent

Continue lendo em:



Bookmark and Share

Nenhum comentário :

Postar um comentário

comentário aguardando moderação